Terapia de casal

terapia-de-casal

O ser humano é um ser social, logo, necessita estabelecer relações de sociabilidade, porém o fato de se relacionar e, especialmente, conviver com outra pessoa, requer certo cuidado e minuciosidade, pois partindo do principio de que cada pessoa é única (o modo de enxergar a realidade é individual), fica notório o desafio que é ter uma vida em comum.

A vida matrimonial é influenciada por fatores divergentes que acompanham cada um dos cônjuges, já que ambos tiveram trajetórias diferentes que consequentemente os tornaram as pessoas que são. Nesse contexto é compreensível estabelecer os graus de responsabilidades que cada um terá na construção harmoniosa e bem sucedida dessa relação.

Pelo exposto acima, a igualdade entre pessoas é impossível, a semelhança é raríssima, a diferença é a presença constante entre dois seres humanos.

O casamento e a Terapia de Casal

casalO cientista Darwin definiu as vantagens do casamento. “As crianças (se Deus quer), a companhia constante (e a amizade na velhice), um se interessa pelo outro melhor que um cachorro se interessaria de todos os modos. Um lar e alguém que cuide da casa. Desfrutar da música e das conversas com a mulher. Essas coisas boas para a saúde. É obrigado a visitar e a receber visitas, mas é uma terrível perda de tempo. Meu Deus, é intolerável pensar em toda uma vida de trabalho e de trabalho, como uma abelha e, depois de tudo, nada. Não, não, não é suficiente. Imagine viver uma vida sozinho em uma casa imunda(…). Apenas uma foto de uma mulher bonita com um bom fogo, livros e música. Comparar esta visão com a realidade suja(…)”.

No entanto, essas vantagens da vida matrimonial, expostas pelo cientista, ficam ameaçadas quando os cônjuges não integram entre si, visto que a diferença entre os casais pode ser considerada um dos fatores principais para o aparecimento dos desencontros e das desarmonias que ocorrem na vida conjugal. Basta um desentendimento para o(a) companheiro(a) alegar que está com a razão e proferir frases típicas: “ eu estou certo(a)”; “você não sabe de nada”, “ eu sei do que estou falando”. Essa atitude acontece com frequência, pois cada indivíduo tem a sua verdade e não está disposto a ouvir/compreender o outro. As separações ocorrem, especialmente, quando o casal, ou um dos cônjuges, mostra-se profundamente incapaz ou desinteressado para ouvir, e, quiçá, dialogar.

Nesses casos, pelo menos um deles adota uma atitude altamente defensiva. Essa pessoa, geralmente, é muito rígida, considera-se absolutamente certa em suas opiniões e verdades, julgando, portanto, o outro como o único, ou o mais, errado.

Compreende-se que aceitar a diferença do outro não é uma tarefa simples, mas também não é sinal de submissão e sim de adequação de valores, opiniões, qualidades e defeitos.Os casais que dificilmente se separam são aqueles que, mesmo passando por momentos muito críticos no relacionamento, ainda cultivam certo grau de admiração e respeito entre eles.

Geralmente são pessoas dispostas a assumir suas parcelas de responsabilidades no processo do desencontro conjugal, desejam rever as bases da relação entre elas e compreender, de fato, o que está acontecendo com o casal. É comum haver, pelo menos em um deles, um apreço grande pela família e se mostram capazes de lutar bravamente pelo bem-estar das pessoas que a compõem. Finalmente, pelo menos uma das pessoas desse casal se mostra bastante flexível e capaz de aceitar as diferenças individuais, que existem entre elas.

Entre em contato através do formulário para obter mais informações sobre Terapia de Casal:

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Seu telefone (não obrigatório)

Assunto

Sua mensagem